Oração Global Urgente pelo Líbano

This post is also available in: enEnglish ko한국어

Pois a nação e o reino que não a servirem perecerão; serão totalmente exterminados. A glória do Líbano virá a você, juntos virão o pinheiro, o abeto e o cipreste, para adornarem o lugar do meu santuário; e eu glorificarei o local em que pisam os meus pés. (Is 60.12-13)

No jogo pega-varetas, varetas pontiagudas de diferentes cores são lançadas no ar e caem aleatoriamente. O vencedor é aquele que retirar o maior número de varetas sem mexer a pilha. Entretanto, muito cuidado deve ser tomado, pois as varetas são afiadas e um manejo incorreto pode causar lesões nas mãos. Analogamente, as rivalidades religiosas e as influências políticas no Líbano – entre Xiitas, Sunitas e Cristãos – foram lançadas no ar este mês e agora é tempo de orar, para que caiam de tal forma que o Reino de Deus avance com toda sua força no Oriente Médio. O catalisador deste evento foi a renúncia controversa do primeiro-ministro libanês Saad Hariri no dia 4 de novembro.

O Líbano tem sido descrito como um “parque de diversões para forças estrangeiras” desde que suas fronteiras foram desenhadas pela França e Inglaterra em 1916 através do Acordo Sykes-Picot. Internamente, o delicado equilíbrio garantido pela constituição do país de 1926 determina que o presidente seja cristão (pelo menos culturalmente), o primeiro-ministro muçulmano sunita e o porta-voz do parlamento um muçulmano xiita. No começo isso funcionou bem e, como disse Jesus na parábola do joio e do trigo (Mateus 13.24-30) boa semente foi semeada e a influência cristã predominou por um tempo. Depois, a influência aparentemente “moderada” dos muçulmanos sunitas cresceu por meio da família Hariri, apoiada externamente pelo petróleo dos sunitas ricos da Arábia Saudita. Entretanto, em 2005 Rafiq Hariri foi brutalmente assassinado – claramente o inimigo já estava semeando a má semente há muito tempo! Ambos xiitas (Alauitas), o presidente Assad da Síria e a poderosa milícia terrorista xiita libanesa, o Hezbollah, com forte apoio do Irã, foram inconclusivamente culpados pelo assassinato. Avance para 2016, quando o cristão maronita Michel Aounfoi eleito para preencher o vácuo político, ao lado do já existente primeiro-ministro Saad Hariri – filho de Rafiq. Estrategicamente, o próprio Aoun se aliou com o Hezbollah, prometendo “retomar” uma parte dos arredores do Monte Hermon [localizado nas Colinas de Golã] pertencentes a Israel. A influência xiita foi crescendo às custas dos sunitas e o delicado equilíbrio existente foi perturbado.

A renúncia de Saad Hariri,enquanto estava dentro do território da Arábia Saudita, parece ter sido motivada por medo de uma conspiração de assassinato e também encorajada, ou até mesmo forçada pela Arábia Saudita a fim de tornar evidente a dominância xiita no Líbano por meio do seu afiliado, o Hezbollah. O Irã está procurando uma hegemonia regional e um corredor de terra entre o Irã e o Mediterrâneo, uma plataforma para atacar e aniquilar Israel. Eles fabricam mísseis na Síria e agora também no Líbano. De fato, estima-se que o Hezbollah tenha um número recorde de 150 mil mísseis apontados para Israel.

Ainda dentro do Líbano existem 1,4 milhões de cristãos tradicionais e 21 mil evangélicos, 2,5 milhões de muçulmanos e mais de 1 milhão de refugiados sírios lutando por um trabalho e direitos pessoais. Biblicamente, o Líbano tem uma história de cooperação e comércio com Israel, notavelmente no tempo do rei Salomão e do rei Hirão de Tiro (dentro do atual Líbano). Até o ano 2000, o exército do sul do Líbano, de maioria cristã, cooperava com o Israel contra a militância islâmica.

Como orar:

  1. Ore para que a cooperação entre Israel e o Líbano seja reavivada, e os cristãos do Líbano sejam fortalecidos e redimidos.
  2. Peça ao Senhor para ajudar os refugiados sírios no Líbano.
  3. Arábia Saudita tem suas mãos manchadas de sangue e há muito tempo tem ajudadoa proliferar o terrorismo – e certamente não ama Israel, mas nos enxerga como aliados contra o Irã. Ore para que o Senhor use especificamente a Arábia Saudita e seu novo e jovem governante para os propósitos do reino de Deus em relação tanto ao Líbano quanto a Israel.
  4. Jesus disse “uma casa dividida não subsistirá” (Mateus 12.22-28) – ore para que a divisão da casa do Islã, entre xiitas e sunitas, sirva para abrir espaço para o Reino de Deus e o Filho que ele ama – Yeshua!

Salmo 83 descreve uma aliança de exércitos ainda por acontecer, que atacará Israel, um dos quais é de Tiro (versículo 7) – sinônimo do Líbano ou talvez do Hezbollah. Incluída neste salmo está uma oração pela destruição desta aliança – versículos 13 a 18. Precisamos começar a orar pela rápida e total destruição desses invasores, para que o reino de Deus assim possa aparecer (versículo 18).

Print Friendly, PDF & Email
By | 2017-11-23T22:56:09+00:00 November 16th, 2017|Uncategorized|0 Comments

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.