Os Padrões Bíblicos Para Divórcio e Recasamento

This post is also available in: enEnglish ko한국어

Entre aqueles que creem na Bíblia como nosso padrão absoluto, a questão do divórcio e recasamento continua sendo um problema incômodo em particular. Interpretações diferentes sobre como compreender o ensino bíblico tem produzido divisões muito complicadas no Corpo do Messias.

O contexto do ensino de Yeshua sobre divórcio e recasamento pode ser comparado ao debate entre as duas escolas primitivas dos Fariseus: Hillel e Shammai. Hillel era visto como mais moderado, embora a escola mais rigorosa de Shammai fosse provavelmente dominante no primeiro século. Hillel ensinava que um homem pode se divorciar de sua esposa por qualquer motivo, enquanto Shammai ensinava que apenas o adultério era motivo legítimo para divórcio. Nesse caso o ensino de Yeshua era mais próximo à visão rigorosa de Shammai (Mateus 19:9).

As visões entre os crentes cristãos bíblicos são as seguintes:

  1. Anglicana primitiva: Nunca existe divórcio e recasamento legítimo, o que era defendido por Gorden Wenham, um estudioso da Bíblia amplamente respeitado da geração passada. Recasamento é proibido enquanto a esposa estiver viva. A menos que um morra, ambas as partes devem levar uma vida solteira e celibatária. Isso pode parecer radical, mas seus argumentos são fortes, e representam uma interpretação literal das palavras de Yeshua, “a não ser em caso de adultério”.
  2. Anglicana primitiva adaptada: Podem haver motivos legítimos para o divórcio, portanto a parte inocente pode recasar. O culpado deve permanecer solteiro para sempre para demonstrar arrependimento. Qualquer coisa menos que isso não é arrependimento.
  1. Protestante Clássica: Existem alguns motivos bíblicos para divórcio e recasamento, a saber: adultério e abandono (1 Coríntios 7). A parte inocente (relativamente falando) pode recasar. A parte culpada também pode arrepender-se e recasar, mas estará para sempre desqualificada para liderança.
  1. Protestante Moderna: Outros argumentam que a definição de abandono é mais abrangente do que apenas o abandono físico literal, e inclui violações tais como: (1) recusar sexo sem um bom motivo (1 Coríntios 7:5), (2) falhar com a responsabilidade de prover (1 Timóteo 5:8), (3) violência física (Efésios 5:28-29). Esta visão assegura que as palavras de Yeshua precisam ser ampliadas para incluir a quebra de aliança em qualquer nível extremo. Eles geralmente interpretam as palavras de Yeshua como significando que qualquer que se divorcia de sua esposa a fim de casar-se com outra, comete adultério.
  2. Moderna Liberal: Esta visão expande os motivos para o divórcio para incluir outras razões além da quebra de aliança extrema, tais como: incapacidade de relacionar-se, dificuldades em desenvolver as coisas, ou grandes diferenças no estilo de vida desejado. Em tais casos, divórcio e recasamento seriam permitidos.

Nossa visão é de que a 5 não é fiel ao texto bíblico e conduziria a um aumento de divórcio. Isso deveria ser rejeitado. Nas outras 4 visões nós ainda precisamos lidar com o complexo processo de arrependimento e restauração após ter havido um caso de adultério, abandono e divórcio.

Print Friendly, PDF & Email
By | 2016-08-11T00:00:00+00:00 August 11th, 2016|Sem categoria|0 Comments

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.