Pence no Knesset

This post is also available in: enEnglish ko한국어

Em 22 de Janeiro de 2018, o vice-presidente dos EUA, Mike Pence, discursou para uma casa cheia no Knesset israelense. Logo no começo, um grupo de membros do Knesset, identificados como palestinos ou da extrema esquerda, irromperam em um protesto barulhento e foram escoltados para fora do edifício.

O estilo de discurso de Pence foi formal e gentil (em contraste com seu presidente). Ele fez vários tipos de referência à Bíblia de forma repetida durante os 30 minutos de discurso. Alguns comentaristas israelenses chegaram a dizer que ele falou mais como um cristão evangélico do que como um político, o que contribuiu para tornar toda a interação extraordinária.

Ele começou afirmando Jerusalém como a capital de Israel e prometeu o apoio firme dos Estados Unidos. Falou do povo judeu como o “povo do livro” e dos Estados Unidos como a nação idealizada nos pensamentos dos “pais fundadores” cristãos. Falou de Jerusalém como o lugar no Monte Moriá onde Abraão foi oferecer Isaque e a capital do reino de Davi, novamente demonstrando que seu discurso era mais fruto de seus valores e convicções do que um mero desejo de conquistar pontos “políticos”.

Também falou do compromisso que tem com o processo de negociações de paz, incluindo uma potencial solução de dois estados. Mencionou que novas alianças estão sendo formadas no Oriente Médio, tal como o Egito e a Arábia Saudita se unindo para cooperar com os EUA contra a agressão iraniana. Mesmo prometendo apoio dos Estados Unidos para lutar contra o terrorismo financiado pelo regime do Irã, ele também fez um apelo de amizade às “pessoas do bem” no Irã, e previu que o seu dia de libertação do regime opressor está chegando.

A resposta dos membros do Knesset foi complexa. Como já mencionado, um pequeno grupo protestou. Todos os outros ficaram atônitos com o grau de apoio e afirmação que estavam ouvindo. A esquerda moderada ficou encantada com esse apoio, contudo receosa com o programa tão abertamente conservador. Os judeus religiosos ultraortodoxos também ficaram satisfeitos com a promessa de apoio, no entanto cautelosos com o fato de que ele estava falando como um crente devoto em Jesus.

Em suma, o efeito de um discurso tão refinado, baseado em fortes valores evangélicos, de apoio a Israel a partir de uma visão bíblica, proferido diante dos membros do Knesset judaico, representa um nível de amizade e testemunho nunca antes visto, neste ano em que a nação vai completar seus 70 anos.

Print Friendly, PDF & Email
By | 2018-02-13T11:50:49+00:00 February 1st, 2018|Uncategorized|0 Comments

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.