Três objetivos da restauração profética e apostólica

This post is also available in: English Français 한국어

A questão do ministério apostólico e profético hoje levanta muita controvérsia, especialmente quando relacionado ao remanescente messiânico em Jerusalém. Por que isso é tão importante? Três vezes a carta aos Efésios faz referência à obra dos “apóstolos e profetas”. A primeira referência trata do estabelecimento das bases para a Igreja “Eclésia” como o lugar da habitação do Espírito de Deus.

“construído sobre o fundamento dos apóstolos e profetas; Yeshua o Messias, ele mesmo sendo a pedra angular.” –  Efésios 02:20

Esse versículo não está falando de uma congregação local, mas da Eclésia universal. O pastor concentra o seu foco na congregação local, enquanto o apóstolo tende a se preocupar com a Eclésia de modo mais amplo. A segunda referência aborda o plano predestinado de Deus de reconciliação entre judeus e gentios pela fé em Yeshua.

“o qual (mistério)… agora, foi revelado aos seus santos apóstolos e profetas, no Espírito, a saber, que os gentios são co-herdeiros, membros do mesmo corpo e co-participantes da promessa em Cristo Jesus por meio do evangelho…” – Efésios 3:5-6

A parceria entre Israel e a Eclésia internacional é central para o reino de Deus, e deveria fazer parte de qualquer fundamento lançado por apóstolos e profetas – tanto naquela época como agora. A terceira lida com a autoridade espiritual dada aos cinco ministérios para equipar a Igreja depois da ascensão de Yeshua aos céus.

“E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos para o desempenho do seu serviço, para a edificação do corpo de Cristo…” – Efésios 4:11

A autoridade espiritual está ligada à ascensão. Yeshua subiu acima de todos os poderes e principados. Ele deu autoridade à Eclésia como seu corpo (01:20-23). Ele concedeu essa autoridade espiritual através do seu nome, do seu Espírito e dos cinco dons de liderança de “ascensão” mencionados aqui (4:7-11). Já que “apóstolos e profetas” estão listados junto com “evangelistas, pastores e mestres”, fica claro que eles devem continuar a funcionar e que não deixaram de existir depois dos primeiros séculos. Paralelamente a essas referências acima citadas, também podemos observar os três princípios ou observações a seguir, um tanto quanto surpreendentes:

  1. Ecclesia – Todas as comunidades da fé do primeiro século se viam como fruto de uma cobertura apostólica e profética e, consequentemente, a ela se submetiam.
  2. Israel – Todas as comunidades da fé do primeiro século se viam ligadas e alinhadas ao Israel e à Jerusalém da Bíblia.
  3. Kingdom – A autoridade espiritual na Eclésia internacional antes da volta de Yeshua se tornará a autoridade governamental no reino milenar depois que ele voltar (Mateus 19:28, Lucas 19:17).

Esses três princípios – Eclésia, Israel e Reino – constituem as razões principais para a restauração apostólica e profética. É a própria importância desses três que torna a questão tão carregada de batalha espiritual. Entender esses objetivos nos ajudará a ficar mais alinhados com os propósitos de Deus em nossa geração.

Print Friendly, PDF & Email
By | 2016-12-07T00:00:00+00:00 December 7th, 2016|Sem categoria|0 Comments

Leave A Comment

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.